perfil.jpg

EMERSON FERREIRA

30 ANOS

 

Nasci e fui criado em Embu das Artes, no bairro Jd. Santa Luzia, 3800 habitantes sem nenhuma opção cultural, de esportes ou lazer.

 

No ensino fundamental a minha realidade era bem desfavorável, com um pai viciado em álcool e jogos, um tio inserido no crime, e minha mãe precisando de ajuda mesmo trabalhando em 3 empregos. Comecei a vender verduras, soldei bijuterias, e com a roupa que compramos para a minha formatura, consegui meu primeiro emprego como garçom.

 

Como minha jornada de trabalho durava 12 horas, deixei os estudos. Esse emprego me possibilitou comprar uma moto em 36 vezes, a mesma que me deu liberdade para sair e frequentas novos lugares e novas amizades.

Nas baladas que eu frequentava tinha muita gente procurando drogas e surgiu aí uma oportunidade de renda extra de forma rápida. No meu contexto naquela época, isso fazia todo sentido. Essa oportunidade tomou tal proporção, que aos 19 anos eu estava preso por tráfico e associação ao crime.

 

Na cadeia eu tive real consciência sobre escassez, degradação humana, falta de estrutura familiar, psicológica, educacional. E passada a fase de revolta e sensação de impotência, eu entendi o quanto eu era privilegiado, isso foi meu turning point.

 

Percebi que o dinheiro no meu bolso era a desgraça de várias famílias. Eu pensava em como as pessoas lembrariam de mim quando eu morresse, e se eu morresse na prisão ou através do crime.

 

perfil-2.jpg

Um dia, na prisão, dia dos pais, eu falei para o meu pai: “eu não fui o primeiro da família a ser preso, mas saindo daqui eu serei o primeiro a entrar na universidade e ter meu diploma.”

 

Retomei os estudos, li vários livros e comecei a transformar minha vida lá de dentro.

Três meses depois de estar oficialmente em liberdade, eu já estava matriculado na faculdade de psicologia e fui buscar um trabalho que fizesse sentido com o meu curso. Entrei no Afro Reggae, comecei a palestrar e conhecer pessoas, participei de muitas entrevistas, em jornais e revistas, fiz muitos contatos e comecei um movimento de ascensão pessoal.

 

Nessa época, agarrei todas as oportunidades, e muitas ideias surgiram. Sabendo que eu era uma referência positiva, passei a me dedicar totalmente ao propósito que eu acredito. Então assim que eu me formei na faculdade, e seguro com meu background dos últimos anos, fundei o Reflexões da Liberdade.